De que está à procura ?

reinounido
Lisboa
Porto
Londres, Reino Unido
Colunistas

Sem palavras

Porque me fogem as palavras ao ouvir-te
e caio nessa emoção tonta que quase desmaio.

Desvaneço e acordo sem palavras a olhar-te.

Porque é sem palavras que te sinto
e porque é sem palavras que esse teu perfume da tua pele me vai invadindo pelas narinas adentro sem permissão.

E, nesse instante, essas raízes desse meu ser-árvore me arrancam da terra firme e aconchegadora.

E sem palavras permaneço nessa emoção,
nessa emoção que me invade a toda a força por essa tempestade chamada Tu!

Poema dedicado e para Z.

BV
13.01.2018