De que está à procura ?

Colunistas

Neonyt Lab: feira europeia de sustentabilidade

Durante os dias 24, 25 e 26 de Junho do corrente ano, realizou-se a Feira Europeia de Moda denominada Neonyt Lab. Na cidade alemã teve lugar mais um evento organizado pela Messe Frankfurt. Desta vez no pavilhão Union, várias empresas ligadas ao mundo têxtil deram a conhecer as suas marcas, padrões, estilos e novas tendências no que diz respeito à escolha cuidada de matérias-primas para a confeção de vestuário para homem e mulher e para as várias estações do ano.

Nesta feira dedicada à moda, não se encontrou empresas portuguesas como é muito habitual. Mas não é de esquecer que estas têm igualmente os seus planos de vendas e de publicidade não só em Portugal e na Europa como em todo o Mundo.

O tema muito destacado neste evento foi a já conhecida preocupação pelo meio ambiente, pelo seu equilíbrio apostando num equilíbrio económico e social. Hoje em dia, a procura e o uso de produtos vegetais em vez de animais é um verdadeiro desafio. Aqui, nesta feira destacaram-se os objetivos de não usar plásticos na produção de certos artigos.

Nestes três dias cheios de trocas de informações acerca de como se pode poupar água, contribuir para a redução do CO2 e valorização de fibras naturais, os consumidores e revendedores têm a possibilidade de conhecer novos nomes de designers de vestidos, calças, lenços, sacos, sandálias e de muito mais.

Empresas vindas de Berlim, Hamburgo, Mannheim e de outras localidades expressaram entusiasmo no desenvolvimento de produtos úteis para o lar e para o uso pessoal. Uma das firmas presente neste evento, valoriza a conservação de bens alimentares usando tecidos contendo cera de abelhas. Outras empresas são muito rigorosas em usar restos de tecidos para a produção de acessórios chiques para mulheres e homens que procuram ter uma boa aparência em situações especiais, em festas, no local de trabalho, desporto ou lazer.

Proteger o meio ambiente não é sempre barato. Uma das empresas representadas nesta feira, deu a conhecer as suas lindíssimas malas de vários tamanhos, para senhora. O preço daquelas variavam entre os 330 e os 990 Euros. As empresas representadas no Pavilhão Union durante os três dias preciosos foi uma excelente oportunidade para se conhecer materiais regenerativos e duradouros.

A gerente de produção e vendas, A. Deicke, de uma empresa localizada em Hamburgo, esta deu a conhecer os seus produtos juntamente com o criador da empresa, o qual aposta no uso de tecidos para armazenamento de alimentos ( pão, queijo e outros) nos nossos lares.

Assim como a representante de produção e vendas de uma firma de Berlim, a senhora Kelle, acredita na chance como as restantes empresas, de vendas online e não só na venda direta nas lojas pequenas e médias. A empresa aposta em tamanhos de confeção de roupa grandes, médios e pequenos, assim como o uso de linho, viscose e fibras ganhas a partir do eucalipto. Este último material concede à roupa a sua característica especial, pois a roupa é verdadeiramente leve, macia, sedosa e confortável.

Também o aluguer de vestuário através dos sites da internet e em lojas, tornou-se mais divulgado. Pode-se dizer afinal, que este serviço tornou-se moda. No segundo dia desta feira europeia de moda foi entregue o Prémio Sustentabilidade a Spitzbarth, o fundador e CEO da Bleed. Este tipo de prémio existe desde 2018 com a motivação de valorizar o uso de materiais favoráveis ao meio ambiente.

Tanto os curiosos, consumidores, revendedores, profissionais de moda e os profissionais da pequena indústria de confeção de vestuário, puderam dar vida a um local da cidade de Frankfurt, com a sua energia, dedicação, cores, formas, gostos e materiais.

Teresa Cavaco Howe

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

TÓPICOS