De que está à procura ?

reinounido
Lisboa
Porto
Londres, Reino Unido
Colunistas

Assumidamente rapaz

Ontem fomos à Figueira da Foz jantar para participarmos na comemoração do 86º aniversário da tia da Ana, mas antes estivemos a fazer tempo na casa da rua da República, rua essa que que está cheia de iluminações de Natal, e muito engraçada. Como bónus, colocaram-nos uma coluna de som para animar a rua mesmo ao lado da sala. O repertório é constituído por cerca de 15 músicas dedicadas ao Natal, e tocarão todos os dias de manhã à noite… Vai ser uma animação! Infelizmente, e porque há gente que se irrita por estar a ouvir as mesmas música umas 20 vezes por dia durante vários dias, achamos que o melhor seria continuar a comemorar o nascimento do Menino em Coimbra! Estes “coimbrinhas” estão sempre a implicar com tudo… Têm música à borla mesmo à porta de casa durante o Natal e implicam com isso!

Eu estou ilibado. Uma vez fui apresentado ao Aprígio dentro do mar da Figueira enquanto tomávamos banho, portanto com os tomates de molho da seguinte forma: “este é um meu amigo Pedro Guimarães, um tipo de Coimbra mas que não é coimbrinha”. Portanto, já tenho um atestado.

O puto Lima, até mais do que eu, adora a Figueira da Foz, e adora a Feira dos Piratas, a Páscoa lá, as férias, os passeios de bicicleta, e de ser tão divertida a cidade, o gajo está convencido que ninguém da Figueira da Foz faz ponta de um corno porque até seria um pecada e um desperdício ignorar tanta forma de lazer.

Fomos levá-lo para ver a festa de Natal que decorre em frente da Câmara, com a chegada do Pai Natal, um desfile temático, um comboio, e stands de pintura, e outras actividades para crianças! Para nossa surpresa mostrou-se pouco interessado e afirmou que aquilo era coisa para crianças e ele, no alto dos seus 6 anos, afirmou que já era rapaz, já não apreciava coisas para crianças.

Aliás, deixou de vestir roupa com bonecos e pediu para lhe comprarem um guarda-chuva novo porque o actual é de criança.

Também já tinha afirmado antes que já sabia há muito tempo que o Pai Natal não existe, mas que continua a gostar de escrever cartas ao Pai Natal para os adultos saberem o que ele quer. Também lhe disse que não existe mas já existiu, que foi assassinado ao sair de uma casa com um saco às costas e os proprietários confundiram o velhote com um ladrão e dispararam.

Este ano lectivo já mudou umas quatro vezes de namorada, e depois ele conta estas merdas a quem o quer ouvir. De resto continua igual a si próprio, continua a conseguir fazer duas asneirolas ao mesmo tempo e fala num volume muito alto.

E depois de repente vem tudo a baixo e fica de novo criança, com as suas inseguranças e medos.

Fora tudo o resto, a Figueira está muito bonita e preparada para o Natal… só o raio da coluna…