De que está à procura ?

reinounido
Lisboa
Porto
Londres, Reino Unido
Desporto

Surf: Dia de Portugal em Newquay

O surf português viveu uma tarde mágica, este domingo, na praia de Fistral, em Newquay, no Reino Unido. A recém-consagrada campeã nacional Yolanda Sequeira alcançou a primeira vitória da carreira numa prova da WSL, depois de conquistar o QS1000 que se disputou ao longo desta semana na região da Cornualha britânica.

Esta foi apenas a segunda vitória de uma surfista portuguesa no circuito feminino de qualificação mundial da WSL (WQS), depois de Carol Henrique ter sido a primeira a conseguir chegar ao lugar mais alto do pódio, em 2017, em Zarautz, no País Basco. Uma semana após a festa do título nacional a jovem surfista algarvia, de apenas 21 anos, fez, agora, a festa fora de portas.

Para chegar ao lugar mais alto do pódio, Yolanda começou por eliminar a canária Melania Suarez Diaz nos quartos-de-final, operando a reviravolta no heat com a última onda que surfou. Depois, nas meias-finais, bateu a neozelandesa Ella Williams, campeã mundial júnior de 2013, graças a uma prestação bem sólida, que terminou com um score de 13,33 em 20 pontos possíveis.

Na grande final a surfista portuguesa teve pela frente a alemã de origem norte-americana Rachel Presti, campeã mundial ISA em título. Yolanda teve um começo de bateria forte e até final geriu a vantagem da melhor forma, vencendo o campeonato com 12,16 pontos, contra 8,54 da adversária.

Depois de ter chegado ao top 100 mundial feminino no ano passado, este resultado – somou 1000 pontos – vai permitir à surfista algarvia aproximar-se do top 60 mundial, o que a coloca cada vez mais próximo de garantir entrada direta nas principais provas do circuito.

Mas a armada lusa também teve em grande destaque na prova masculina, com dois surfistas a chegarem ao pódio final e com um deles, Pedro Henrique, a ver escapar a vitória já nos momentos finais. O campeão nacional de 2016 liderou a final durante grande parte do tempo, mas nas últimas ondas o alemão Leon Glatzer acabou por garantir o triunfo, com uma diferença de apenas 0,43 pontos.

Glatzer já havia sido o “carrasco” de Eduardo Fernandes nas meias-finais. Apesar de não terem chegado ao triunfo na prova britânica, Pedro Henrique e Eduardo Fernandes vão garantir importantes subidas no ranking, eles que estavam fora do top 300 mundial. Destaque ainda para o 9.º posto de Pedro Coelho, que perdeu na 5.ª ronda.

Esta foi a primeira prova da “perna europeia” de verão do WQS, com a “armada lusa” a seguir agora para França, onde na próxima terça-feira arranca um QS1500 em Lacanau, no sudoeste francês.