De que está à procura ?

reinounido
Lisboa
Porto
Londres, Reino Unido
Desporto

Sporting marcou dois golos sem resposta em Paços de Ferreira

O Sporting entrou a ganhar na edição 2020/21 da I Liga de futebol, ao bater o Paços de Ferreira no estádio Capital do Móvel, por 2-0, com um golo em cada parte, em jogo da segunda jornada.

Num encontro marcado por várias ausências, devido a casos positivos de covid-19 em jogadores das duas equipas, o Sporting acabou por ser melhor durante a maior parte do tempo e dispôs das melhores oportunidades de golo, materializando a vitória com tentos de Jovane Cabral, aos 23 minutos, na transformação de uma grande penalidade e Coates, aos 63.

O Sporting jogou na Capital do Móvel no ‘intervalo’ de uma eliminatória europeia que pode valer o ‘passaporte’ para a fase de grupos da Liga Europa, mas Rúben Amorim, ainda em quarentena, não fez poupanças e repetiu o ‘onze’ que na quinta-feira venceu os escoceses do Aberdeen (1-0), incluindo o avançado Tiago Tomás.

O ainda sub-19 do Sporting, que anotou o golo da vitória a meio da semana, quase repetiu os festejos logo aos três minutos, mas falhou a emenda ao cruzamento de Nuno Mendes da esquerda, num início de jogo movimentado.

Tanque respondeu para o Paços aos sete minutos, com um remate de fora da área que, por pouco, não deu golo. O lance resultou de uma recuperação de bola do estreante Bruno Costa (João Amaral foi afastado do jogo devido a teste positivo à covid-19) no meio campo ofensivo, uma estratégia tentada a espaços pelos pacenses para condicionar a construção do Sporting.

Os ‘leões’ apostavam no jogo interior, com Vietto e Jovane Cabral como destinatários prioritários dos colegas, mas, também, no jogo exterior, através de lançamentos para as costas dos defesas locais, procurando explorar o adiantamento dos laterais Nuno Mendes e Porro.

Numa saída rápida, aos 12 minutos, o espanhol surgiu em boa posição pela direita, mas Jordi opôs-se bem e defendeu, um ‘duelo’ que perderia pouco depois, na cobrança de uma penalidade, para Jovane, em lance muito contestado pelos locais, alegando mão causal de Tanque na área.

Em desvantagem, o Paços nunca deixou de tentar e conseguiu dividir as iniciativas, a maioria delas em transição, sem conseguir, no entanto, finalizações perigosas junto da baliza de Adán, que só voltou a ser importunado aos 27 minutos, num livre lateral dos pacenses a que faltou alguém para a emenda vitoriosa.

Apesar do esforço, o Sporting foi sempre mais objetivo e, aos 38 minutos, ficou muito perto do segundo golo, num lance em que a simulação de Vietto isolou Tiago Tomás, que foi egoísta ao optar pelo remate, quando no meio surgiu Nuno Santos, entrado em campo pouco tempo antes, devido à lesão de Jovane.

Tiago Tomás voltou a estar em evidência no segundo tempo, ao participar diretamente no lance do segundo golo, concretizado por Coates, assistido na área pacense por Feddal.

Este lance foi o melhor que se viu na segunda parte, período em que o Paços procurou estender-se mais em campo e acercar-se da baliza de Adán, num ‘assalto’ final que contou com os estreantes João Pedro e Martín Calderón.

Mais preocupado em gerir a vantagem e poupar-se a grandes esforços, o Sporting baixou o ritmo, conseguindo quase sempre manter os pacenses longe da sua baliza.

João Pedro, no último lance do jogo, ainda podia ter reduzido para os pacenses, que somaram hoje a 12.ª derrota caseira diante do Sporting, em 22 jogos para o principal campeonato.