De que está à procura ?

Colunistas

Sem alma nem lei

Sociedade sem humanidade,  
É como carta sem tinta… 
Já não amamos a verdade! 
Preferimos quem nos minta… 

Amamos quem nos mata! 
Cuspimos no exemplo… 
Que triste esta carta, 
Somos povo sem templo… 

Sem templo nem Deus… 
Antes beijamos pés de barro, 
Somos piores que tristes ateus 
Nadando no seu escarro… 

São duras as minhas palavras 
Mais forte é a minha loucura… 
Acordem almas escravas! 
É esta a hora d’bravura  

Levantar a voz é dignidade… 
Nobreza é morrer a cantar! 
Querendo sempre essa verdade! 
A verdade de se amar! 

Ama a tua liberdade 
Que se foda reles lei, 
Recusa essa caridade  
Diz não a vendido Rei! 

PP_13 05 2022 

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

TÓPICOS