De que está à procura ?

reinounido
Lisboa
Porto
Londres, Reino Unido
Reino Unido

PSD questiona Governo sobre serviços consulares na Escócia

Na Escócia vive hoje uma importante comunidade portuguesa que é apoiada no plano consular pelo Consulado-Geral de Portugal em Manchester. “Estamos a falar de uma comunidade que está repartida por todo o norte do Reino Unido com concentrações mais significativas nas cidades de Edimburgo, Glasgow, Aberdeen e Inverness”, afirmam os deputados da emigração eleitos nas listas do PSD que questionam o governo.

Segundo a questão parlamentar do PSD ao executivo português, “esta comunidade anseia, há muito, pela existência de uma estrutura consular permanente que possa dar resposta às suas necessidades de âmbito administrativo”. Atualmente os portugueses da Escócia têm de recorrer ao posto consular de Manchester que dista várias centenas de quilómetros ou, “dado que o consulado-honorário de Edimburgo não tem competências para a prática de atos consulares, de recorrer a algumas permanências que, há vários anos, têm vindo a ser realizadas em Glasgow (uma) e em Edimburgo (duas)”, pode ler-se na questão parlamentar.

Os deputados sociais democratas insistem que o “apoio consular no contexto atual da saída do Reino Unido da União Europeia confere a esta questão uma importância ainda maior tornando urgente a sua resolução”. Por isso, pedem mais permanências consulares, e criticam o facto de que “as previstas para 2019 ilustram exatamente o contrário dado que se mantêm as três permanências ocorridas em 2018, mas divididas pelas cidades de Aberdeen, Glasgow e Edimburgo (que passa de duas para uma) e com um período de atendimento inferior ao dos anos anteriores”.

“Por tudo isto, justifica-se, claramente, a possibilidade de abertura de uma estrutura consular de atendimento permanente que possa servir a nossa comunidade de forma eficaz neste momento e no futuro”, defende o PSD colocando ao Governo português as seguintes questões: “face ao atual contexto do Brexit como justifica o Governo a decisão de não aumentar, de forma significativa, as permanências consulares na Escócia? e admite o Governo criar, na Escócia, uma estrutura consular permanente para apoiar a numerosa comunidade portuguesa que ali reside?”