De que está à procura ?

reinounido
Lisboa
Porto
Londres, Reino Unido
Colunistas

Poema num cálice

Aqui e hoje ofereço poesia num cálice
Deve ser bebida sempre em jejum
Se puder e gosta a tome num ápice
Se não gosta, não tome cálice nenhum.

Só ofereço pela minha vontade de escrever
A poesia brota dentro de mim como uma flor
O que eu gosto, para si não é nenhum dever
Mas saiba que escrevo poesia por amor.

Também escrevo para raciocinar e para exortar
A humanidade que luta contra a pornografia
Numa sociedade que perdeu a ética e o amar
Também o respeito no seu dia a dia !

Se quiser tome um cálice de poesia
Ela é meditada, estudada e bem veraz
Se desejar: tome um, dois e sinta alegria
Num casamento feliz e bem capaz!

José Valgode

 

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.