De que está à procura ?

reinounido
Lisboa
Porto
Londres, Reino Unido
Colunistas

Orçamento e calamidades

Não entendo o Presidente da Republica a querer à força toda, que partidos que não se identificam com a proposta de orçamento, tenham que votar a favor em virtude de umas potenciais calamidades possam daí advir.

Que eu saiba, o Partido Socialista, apesar de ser a maior força política, não tem maioria absoluta e talvez tenha que ser o PS a entender-se com os outros partidos.

Também não vejo grande mal se o orçamento não for aprovado. Não vejo porque é que não podem viver com o orçamento anterior (que era magnifico) e em sistema de duodécimos, como fazem muitos portugueses. Não podem aumentar impostos, não podem contrair divida, a não ser para substituir a anteriormente criada. Não vejo mal nisso, num país com elevada carga fiscal e altamente endividado.

Finalmente também não vejo grande mal um país viver em democracia e ser normal governos demitirem-se e o Presidente convocar eleições.

Pedro Guimarães

 

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.