De que está à procura ?

reinounido
Lisboa
Porto
Londres, Reino Unido
Publireportagens

OGBL continua de ferro e aço nos setores da siderurgia e da indústria

A OGBL foi o grande vencedor das Eleições Sociais 2019 nas delegações das empresas bem como nos oito grupos sócio-profissionais em que apresentou candidatos para a Câmara dos Assalariados (Chambre des salariés, CSL). Mas analisemos melhor os resultados, setor por setor. Hoje, os setores da Siderurgia e da Indústria.

Apesar dos ardis, OGBL continua maioritária na Siderurgia

Aqueles que há mais de 50 anos esperam ver a OGBL recuar no setor da siderurgia, tiveram mais uma vez que engolir em seco. Até ao fim dos anos 1970 era o sindicato LAV o maioritário, e este deu origem à OGBL em 1979, mas os trabalhadores não se deixaram enganar e continuaram fiéis a quem sempre os defendeu. Assim, a OGBL era, é e continuará a ser o sindicato maioritário no setor.

Não neguemos o óbvio: a OGBL recuou em duas unidades importantes do setor, em Differdange e na administração da ArcelorMittal, mas mantivemos Dommeldange, Belval e Rodange. Traduzido em mandatos, a OGBL tem 15 delegados e o outro sindicato também, apesar de a OGBL ter conseguido mais votos no conjunto das cinco unidades. Contas feitas e como prevê a lei, a OGBL mantém a sua posição de sindicato maioritário e guarda assim também o poder de negociar a convenção coletiva do setor. No grupo da siderurgia (grupo 1) na Câmara dos Assalariados (CSL), isto significa que a OGBL mantém a sua maioria com 3 assentos em 5.

Analisemos a perda do número de delegados: o setor da siderurgia e a ArcelorMittal atravessam um período conturbado há mais de uma década. As turbulências na empresa e o recuo sistemático no número de empregos expuseram a OGBL, o sindicato maioritário que tem de assumir responsabilidades, mais do que o LCGB, sindicato minoritário, que se compraz no seu papel demagógico, fácil e gratuito.

Além disso, desde há alguns anos que a direção da ArcelorMittal tenta enfraquecer a OGBL no seio da empresa e encontrou um aliado eficiente no LCGB, a quem acordou facilidades. O facto de a administração ter mobilizado inclusive os diretores em certas unidades para participarem no sufrágio não foi neutro no resultado final das eleições.

Mas esta atitude apenas reforça a vontade e a firmeza da OGBL de fazer ainda mais em prol de um trabalho sindical com maior qualidade a favor dos trabalhadores. Fizemos erros no passado e tirámos as lições devidas: não comunicámos o suficiente com os trabalhadores, demasiado ocupados com reuniões (CCT, Tripartida, Comissão Paritária, DMI, DMU, etc…) não demos a devida atenção à comunicação. Para corrigir o tiro, vamos redinamizar as nossas secções nas unidades, distribuir mais folhetos informativos, aumentar a nossa presença no terreno para fazer passar as nossas mensagens ao pessoal, mas também para escutar melhor os trabalhadores.

Finalmente, o nosso maior erro foi não reagir atempadamente à falha total, à incapacidade completa de ação e às artimanhas malsãs do presidente da nossa delegação central, o que nos custou a maioria junto da administração da empresa.

No entanto, a OGBL vai continuar a sua luta pela sobrevivência da siderurgia luxemburguesa e pelos empregos de qualidade, e isto com todos os seus delegados e militantes pelo bem-estar de todos os trabalhadores do setor.

Transformação de metais e Indústria química

A posição dominante da OGBL no ramo da transformação de metais saiu reforçada nas Eleições Sociais 2019. Qualquer que seja o tamanho da empresa, a OGBL está transversalmente bem representada em todo o setor. Melhorou a sua posição em algumas empresas, como na B-Medical Systems de Hosingen, na Lindab Astron ou na Rotarex, e conseguiu entrar noutras pela primeira vez como, por exemplo, na Raval Europe ou na Ceratool.

Na indústria química, a OGBL consolidou igualmente a sua posição de liderança, e conta agora 129 delegados em todo o setor, ou seja, 62% dos mandatos efetivos nas empresas em que apresentou candidatos. O segundo sindicato presente não conseguiu inverter a tendência de 2013 e continua a perder terreno.

Na maioria das empresas em que estava presente, a OGBL mantém a sua liderança de sindicato maioritário. Mas noutras empresas é o único sindicato presente como, por exemplo, na Accumalux, Airtech, Ampacet Europe, Avery Dennison, Carlex Glass, Catalyst, Corex, IVC, Guardian Luxguard I & II, No-Nail Boxes ou na Tontarelli.

Esta vitória deve-se ao excelente trabalho dos delegados da OGBL, que concentraram a sua campanha eleitoral no balanço do trabalho feito nos últimos cinco anos e no que será feito nos próximo cinco.

———————————————–

Agenda:

– 27 de abril, 17h00-19h00, Pétange: Comício político nacional da OGBL para celebrar o 1° de Maio (Meeting National). Local: Centro Desportivo Bim Diederich, em Pétange (30, rue Pierre Hamer). Há parque de estacionamento no local e um autocarro vai fazer a ligação entre a gare de Pétange e o local do comício, entre as 16h30 e as 19h30.

– 29 de abril, 18h00, Bonnevoie: Conferência-debate (em francês e inglês, com tradução simultânea) sobre o Ghana-Luxembourg Trust e o desenvolvimento sustentável justo. Com: Mahutar Abla, representante da República do Gana; Paulette Lenert, ministra da Cooperação do Luxemburgo; Nicolas Schmit, ex-ministro do Trabalho; Jean-Claude Reding, presidente da Câmara dos Assalariados (CSL), Conny Reuter, secretária-geral da Solidar; Christopher Lilyblad, moderador. Local: CSL-Câmara dos Assalariados (63, rue de Bonnevoie, na cidade do Luxemburgo).

– 1 de maio, 10h00-18h00, Grund: Festa do 1° de Maio, Dia do Trabalhador com uma grande festa das culturas: grupos musicais, espectáculos, exposições, teatro, stands gastronómicos, ateliers infantis, animações, etc. Local: Abadia de Neumünster, Luxemburgo-Grund.

=> A OGBL explica e informa. A OGBL é a n°1 na defesa dos direitos e dos interesses dos trabalhadores e dos reformados portugueses e lusófonos. Para qualquer questão, contacte o nosso Serviço Informação, Conselho e Assistência (SICA), através do tel. 26 54 37 77 (8h-17h) ou passe num dos nossos escritórios: 42, rue de la Libération, em Esch-sur-Alzette; 31, rue du Fort Neipperg, na cidade do Luxemburgo; e noutras localidades. Saiba onde se situam as nossas agências no Grão-Ducado e nas regiões fronteiriças em www.ogbl.lu.