De que está à procura ?

reinounido
Lisboa
Porto
Londres, Reino Unido
Colunistas

Descubra o Museu Arqueológico de Frankfurt

O mosteiro das Carmelitas situado na parte antiga da cidade de Frankfurt-am-Main foi apenas chamado Museu Arqueológico em 2002. Assim que as suas portas se abrem, não só se pode admirar os artefactos deixados pelos antepassados, como também vale a pena apreciar a arquitetura interior do próprio edifício.

Nas salas espaçosas do mosteiro, vamos encontrar inúmeros vasos, ferramentas, armas, utensílios, joias, vidros, pinturas, esculturas e outros vestígios das várias épocas históricas.

As relíquias expostas no antigo mosteiro são na verdade a herança cultural deixada por povos da Idade da Pedra, Idade do Bronze, Idade do Ferro, Tempo Românico, Idade Média, Antiguidade Clássica e do próximo Oriente Antigo.

A observação da coleção arqueológica leva à colocação de muitas perguntas acerca das culturas antigas descobertas em várias partes do Mundo. Mas como surpresa, na parte norte da própria cidade de Frankfurt, localizada nas margens do rio Meno, encontraram-se vestígios de uma localidade românica denominada Nida.

Já no século XVIII, descobriram-se tigelas de cerâmica manufaturadas entre os anos 5.500 e 5.300 a.C e copos de vidro de luxo usados na Idade Média, mais concretamente no início do século XII d.C na zona norte daquela cidade.

No Museu Arqueológico de Frankfurt-am-Main descobre-se ainda várias esculturas, algumas grandes e admiráveis e outras pequenas que têm entre 20 e 40 cm de altura, que expressam a criatividade e a crença religiosa de alguns povos. Algumas delas são da zona do Mediterrâneo, Grécia, Itália, Pequena Ásia e Norte de África.

Segundo as explicações durante uma visita guiada a este museu, podemos apreender que alguns artefactos de cerâmica românicos, revelam a influência da forma, decoração e técnica tradicional usada pelos gregos.

Também na rica Biblioteca deste museu estão guardadas imensas obras que servem de apoio à investigação e são mediadoras de conhecimento sobre arqueologia.

O próprio museu dispõe de meios para a restauração de objetos danificados que foram encontrados durante as várias escavações arqueológicas. Uma equipa de profissionais dedica-se ao restauro de pecas numa oficina criada para esses fins. Esta oficina dispõe de microscópios, equipamento de raios-X, lixas e boa iluminação para tarefas bem minuciosas.

O trabalho da conservação de qualquer artefacto é precioso, de forma a evitar a perda do objeto e dos seus elementos informativos que possibilita a datação e caracterização do mesmo.