De que está à procura ?

reinounido
Lisboa
Porto
Londres, Reino Unido
Comunidades

Conhece Telmo Guerra?

Telmo Guerra, que no Instagram é @telmo.guerra.arte, nasceu em 1974 na Covilhã e atualmente reside na Suíça.

A sua vontade de ‘’criar’’ começou quando era criança e aos 10 anos começou a fazer pintura com tinta acrílica e desenho a “carvão”.

Durante o processo evolutivo como artista usou também muitas vezes tinta de esmalte (usada sobretudo para pintar metais) por causa da influência de “Pollock”, um artista que muito aprecia.

No ano 2000 iniciou as primeiras gravuras em baixo-relevo porém sempre de forma muito esporádica. Em 2012 emigrou para a Suíça e essa mudança na sua vida influenciou todo o trabalho artístico por isso digo que ‘’felizmente em 2012 emigrou e encontrei o meu caminho’’.

Como diz José de Saramago ‘’É preciso sair da ilha para ver a ilha. Não nos vemos se não saímos de nós’’. Esta mudança fez-lhe ver o seu país de uma forma diferente e ” desde que saiu da ilha ” dediquei-se apenas a fazer gravura em baixo-relevo com motivos da cerâmica portuguesa.

Hoje Telmo Guerra faz sobretudo gravura porque foi com esta forma de arte que o ‘’Homem’’ começou a escrever a história nas cavernas há cerca de 40.000 anos. Pretende usar a mesma forma de arte milenar para “deixar memórias do tempo presente para que fiquem registadas para o futuro’’.

Considera que na gravura existe uma poesia visual impossível de ser reproduzida noutra forma de arte. Talvez por estar associada ao “Homem pré-histórico” e ser a primeira forma que os nossos antepassados usaram para registar a nossa história.

Faz principalmente “gravura com rostos” porque considera que a imagem de alguém tem mais capacidade de nos “desassossegar”, mas o que eu pretende é combinar o rosto com elementos da “cultura portuguesa”, especialmente os  motivos da azulejaria portuguesa e a Cruz de Portugal ou Cruz da Ordem de Cristo porque são “elementos” da pátria e dessa forma representa Portugal nas suas peças.

@telmo.guerra.arte é mais uma história de @portugalnomundo

#portugalpositivo