De que está à procura ?

reinounido
Lisboa
Porto
Londres, Reino Unido
Lifestyle

The Gift atuaram com lotação esgotada em Londres

Os The Gift atuaram no sábado, em Londres, em nova apresentação na cidade inglesa do último “Altar”.

Com Brian Eno na assistência, o grupo de Alcobaça praticamente lotou a Union Chapel, uma igreja que recebe espetáculos pop: o espetáculo, declarou no fim do concerto o compositor Nuno Gonçalves à agência Lusa, estava “pensado há muito tempo”, e consistiu num “alinhamento muito mais íntimo, chegado às pessoas, com menos vibração e mais intensidade”.

“Foi dos sítios mais bonitos em que os Gift estiveram, demos possivelmente o melhor concerto da vida dos Gift, com concentração, emoção, as notas certas no sítio certo. Acho que foi perfeito”, sintetizou o músico.

Em Londres escutaram-se, por exemplo, “Front Of”, “Song for a Blue Heart” ou “Guess Why”, os dois primeiros de 2001 (do álbum “Film”), e o terceiro de 2004 (de “AM-FM”).

“Altar”, produzido por Brian Eno, que no final do concerto de Londres felicitou a banda no ‘backstage’, está em vias de fazer um ano, e tem sido pretexto para os Gift explorarem “mercados novos”.

No verão, por exemplo, o grupo desloca-se à Rússia, curiosamente na altura do Mundial de Futebol: “Vamos a um ‘late-night’ televsivo dos mais conhecidos do país. E uma das rádios nacionais de cultura pôs o disco todo em ‘playlist’, uma coisa completamente fora do normal. Estamos a explorar mercados novos”, sublinhou o compositor maior dos alcobacenses.

“Altar”, sétimo álbum dos Gift, inclui canções como “Love Without Violins”, “Clinic Hope”, “Big Fish” e “You Yill Be Queen”, todas já editadas como ‘singles’ – esta última foi apresentada recentemente com um vídeo musical assinado pelo fotógrafo australiano Niv Novak, protagonizado por dois bailarinos da companhia The Australian Ballet.

O álbum foi editado em abril de 2017 e saiu depois de o grupo de Alcobaça ter celebrado 20 anos de carreira.

Nascidos como banda em 1994, em Alcobaça, os The Gift são formados por Nuno Gonçalves, John Gonçalves, Sónia Tavares e Miguel Ribeiro, sendo acompanhados ao vivo e em estúdio por músicos como Mário Barreiros (bateria) e Paulo Praça (guitarra).

A primeira maquete do grupo, “Digital Atmosphere”, surgiu em 1997, e de lá para cá foram vários os álbuns que o grupo editou: “Vinyl” (1998), “Film” (2001), “AM-FM” (2004), “Fácil de Entender” (2006) “Explode” (2011), “Primavera” (2012) e “20” (2015), este último a assinalar os 20 anos de carreira.

Também em 2015 o grupo lançou o documentário “Meio Caminho de História”, realizado por Nuno Duarte e Guilherme Cabral.

Entre “Fácil de Entender” (2006) e “Explode” (2011), o compositor Nuno Gonçalves e a vocalista Sónia Tavares estiveram envolvidos no projeto Amália Hoje, recuperação do legado da fadista Amália Rodrigues para terrenos pop.