De que está à procura ?

reinounido
Lisboa
Porto
Londres, Reino Unido
Desporto

Diogo Ferreira com mínimos para Europeus na vara em Madrid

Os portugueses que competiram esta sexta-feira no ‘meeting’ de atletismo de Madrid tiveram participações relativamente discretas, com exceção de Diogo Ferreira, no salto com vara, que ganhou e confirmou mínimos para os Europeus de Berlim.

Nélson Évora, no triplo, ficou distante do seu melhor e Jessica Inchude, no peso, recente recordista nacional, também. Evelise Veiga, no comprimento e Carlos Nascimento, nos 100 metros, não confirmaram as recentes marcas de grande qualidade e Edi Maia também ficou longe do seu melhor, na vara.

No salto com vara, tanto Edi Maia como Diogo Ferreira já tinham mínimos B para Berlim esta época, só que Diogo resolveu o ‘duelo’ com o rival, ao conseguir mínimos A, com um salto a 5,66 metros, a cinco centímetros do seu recorde nacional.

Diogo ainda tentou o recorde nacional a 5,72, mas derrubou por três vezes, quando já era o único competidor na pista de saltos. Antes, tinha passado à segunda, sempre, a 5,21, 5,36, 5,46, 5,55 e 5,66 metros.

Edi Maia é que esteve visivelmente fora de forma e derrubou por três vezes a vara a 5,36 metros, depois de ‘limpar’ a 5,01 e 5,21. O anterior recordista nacional, que tem esta temporada 5,56 em pista coberta, tem ainda um mês para chegar aos 5,65 de mínimos A, se ainda quiser ir a Berlim.

Já com mínimos, Nelson Évora compete sempre a outro nível e tinha aspirações, tanto mais que não estavam no estádio Moratalaz o recordista luso, Pedro Pablo Pichardo, nem os melhores norte-americanos.

Évora, que é o terceiro europeu do ano (atrás de Pichardo e do azeri Alexis Copello), ficou-se pelos 16,62 metros, no seu último ensaio e com vento nulo. Ganhou Copello, com 17,01, seguido do espanhol Pablo Torrijos (16,72), de Fabrice Zango, do Burkina-Faso (16,63), e de Évora.

Jessica Inchude, desde este ano recordista nacional do peso, ficou a mais de meio metro dessa marca, com 16,72 metros e o sétimo lugar, em prova vencida pela líder europeia, a alemã Cristina Schwanitz.

Evelise Veiga – que esta época está a 11 centímetros dos mínimos – foi quinta no comprimento, com 6,45 metros. Ganhou a britânica Shara Proctor, com 6,73.

Inscrito de última hora foi Carlos Nascimento, dois dias depois de correr o hectómetro em excecionais 10,13 segundos, no ‘meeting’ de São João, em Braga.

Aproveitou o convite, mas ressentiu-se do cansaço e foi sétimo numa das meias-finais, com 10,41 segundos.

A final seria de grande nível, com recordes nacionais para os dois primeiros, o chinês Biangtian Su (9,91) e o italiano Filippo Tortu (9,99). Especialmente mediática a marca de Tortu, um jovem de 20 anos, já que retira da lista o lendário Pietro Mennea, 36 anos depois.