De que está à procura ?

reinounido
Lisboa
Porto
Londres, Reino Unido
Colunistas

Ainda se queimam livros!

Segundo Bertrand Russell, a inveja é a base da democracia. As alterações políticas, que ocorrem, são motivadas pelas paixões; e a “paixão, que deu forças impulsionadoras às teorias democráticas, foi, sem dúvida, a inveja”.

Bertrand Russell recorda, ainda, na obra “A Conquista da Felicidade” como Madame Roland se notabilizou na defesa do povo: certa vez, ao visitar castelo aristocrático, fizeram-na entrar pela porta de serviço…

Também alguns republicanos, que se batem pela igualdade, fizeram-no, porque não tiveram o privilégio de terem nascido no seio de família fidalga.

Igualmente, nobres empobrecidos movidos pela inveja de se verem sem bens e poder abraçaram os ideais republicanos.

A ideologia política, muitas vezes, não é defendida por convicção mas, pela necessidade ou inveja; e ainda, consoante o lugar que se ocupa no xadrez da vida.

Vêm essas reflexões devido ao facto de nos anos cinquenta haverem surgido, integrados no “Plano Educação popular”, livros escritos em linguagem simples, mas excelentes para cultivar e esclarecer dúvidas.

Os volumes (115 títulos) eram dedicados ao povo mas, rapidamente, foram adquiridos pelos intelectuais que não tiveram pejo de os colocar nas estantes das suas bibliotecas.

Todos os livros incluíam, antes dos textos, propriamente ditos, pensamento de Salazar, de cariz patriótico ou educacional.

Após a Revolução de Abril, as obras foram consideradas “perigosas” porque as palavras de Salazar e mais tarde de Marcelo Caetano, podiam influenciar os leitores.

Cinco meses após a Revolução, Rui Crácio, a 17 de Outubro, enviou despacho ordenando destruir os livros de índole “fascista”.

Os “inofensivos” para serem conservados nas bibliotecas teriam de se arrancar a página que inseria o pensamento de Salazar ou Marcelo Caetano.

Deste modo destruíram-se milhares de livros!…

Era necessário apagar qualquer vestígio do regime anterior.

Também a famosa biblioteca de Alexandria, com 700.000 volumes, foi destruída por Omar porque o Corão bastava…

E a Inquisição queimou milhares de livros porque eram nefastos para a religião e a sociedade.

O mesmo destino levou ricas bibliotecas dos aztecas, porque os invasores as queimaram para se aquecerem nas noites frias de Inverno!

Para muitos a democracia, a liberdade só devem existir se forem eles a mandar e os outros a obedecer…

Jean Jacques Rousseau dizia que a democracia seria o regime ideal… se os homens fossem deuses…

Como o não são… continua a ser, enquanto não se descobre outro mais perfeito.